Quem escreve blog em 2011?

Pois é, eu. No meio da era do videolog.

Com qual motivação? A mesma com a qual eu faço 99% das coisas na minha vida: impulsividade. Tive uma ideia, me animei a tirar ela da cabeça e quando fui ver ela não cabia nos 140 caracteres do meu twitter (@dudunoronha).

Aí me animei a começar a me expressar em mais de duas frases, talvez dê certo. Talvez não.

Provavelmente dará.

Sempre gostei muito de palavras. Escritas ou faladas, palavras são o elemento básico da expressão, que é o que nos leva a ter idéias, que basicamente são o que nos define. E por que “Palavra Imprópria”? Porque “Impropérios” já estava registrado. Simples assim.

Fora isso ter um blog pode ser extremamente vantajoso, veja só você: hoje em dia está na moda ser pseudo inteligente. Começou com aquela rejeição ao “tiopês” uns anos atrás (que eu adorei). Aí evoluiu pras infinitas citações de Clarice Linspector em todas as redes sociais possíveis e imagináveis. Você olha e lá está: a foto da menininha de 13 anos fazendo duckface com as amigas do colégio no mural do facebook com a legenda: “Sou como você me vê. Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania, depende de quando e como você me vê passar. Clarice Lispector.”

E então chegamos ao ponto: mocinhas de óculos de aro grosso e copo do Starbucks na mão que proclamam que escrever bem é sexy. Estaríamos entrado na era das marias-metáforas? Não sei. Mas olhando a crescente da minha barriga, é uma esperança que quero alimentar.

Vai ter música? Provavelmente. Vai ter dança? Não. Mas vai ter opinião e pensamentos despretensiosos. Todos aqueles que não couberem no twitter. Pode ser que continue em Calibri e com certeza terá texto menores. No mais não prometo nada.

Pra finalizar, me expresso com o seguinte:

A palavra é o meu domínio sobre o mundo.

Clarice Lispector

Anúncios