Sobre Leandrinho, Nenê e o Basquete Brasileiro

Eu não gosto de basquete (eu não tenho tamanho pra gostar de basquete). Logo, eu não acompanho o basquete, seja brasileiro, americano ou sérvio. Porém acompanho o noticiário esportivo (e o twitter) e não pude deixar de perceber o regojizo de jornalistas e espectadores com a vitória do time de basquete sem a ajuda de Leandrinho e Nenê, que atualmente jogam na NBA e pediram dispensa da seleção alegando motivos pessoais.

Resumindo a novela, a seleção se classificou pras olímpiadas e o grito de vitória foi um sonoro “CHUPA!” direcionado a Lenadrinho e Nenê, esses mercenários traidores da pátria que viraram as costas pra nossa seleção.

Achei o máximo o basquete brasileiro se reerguer, conseguir a vaga nas olimpíadas e não depender de falsos ídolos pra mandar bem. Achei o máximo imaginar a cara de Leandrinho e Nenê assitindo o sucesso da seleção. Torço, como muitos, para que eles fiquem de fora do time que irá disputar as olimpíadas em Londres.

Mas não deixo de me sentir envergonhado ao pensar quantas vezes esses dois rapazes devem ter sido cortados de clubes porque o programa de basquete foi cancelado.

Quantas vezes devem ter trabalhado recebendo salários ridículos.

Quantas vezes devem ter aturado dirigentes incompetentes colocados à frente do nosso esporte por decisões políticas.

Qquantas vezes devem ter recebido “nãos” de patrocinadores… pra hoje, vencidas todas as dificuldades, serem julgados como mercenários por gente como eu.

 

 

 

Anúncios